William Borges

William Borges

A Rádio Jornal noticiou no dia 3 de junho o maior projeto habitacional da história de Assis Chateaubriand, que resultará na construção de 364 casas populares num novo bairro a ser criado na região do Jardim Progresso, nas proximidades do Clube do Japonês, entre a Rua 14 Bis e a rodovia municipal que liga a cidade ao patrimônio Terra Nova do Piquiri.

O anúncio foi feito em primeira mão pelo prefeito Marcel Micheletto (PSDB), que explicou que serão utilizadas duas linhas de recursos para a instalação das moradias, sendo 200 construídas com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), contemplando famílias com rendimentos de até R$ 1.395, que pagarão parcelas mensais de R$ 25 a R$ 80 – equivalentes a 5% da renda, enquanto que as outras 164 unidades serão construídas com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), destinadas para famílias com renda um pouco superior, que pagarão parcelas de R$ 150 a R$ 319.

Conforme as informações, os futuros mutuários quitarão os imóveis, de 35 m² a 48 m², divididos em dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, num período 10 anos.

Ao todo, o investimento será de aproximadamente R$ 25 milhões somente nas moradias, sem levar em consideração os outros milhões de reais que serão necessários para o asfaltamento e infraestrutura básica com água, energia e iluminação pública.

Dias atrás, em sessão plenária da Câmara Municipal, o vereador Odilo Denig (PMDB) destacou o projeto a qual Assis Chateaubriand foi contemplado e irá beneficiar 364 famílias. Enquanto isso, na última segunda-feira (19), o vereador Dirceu Vieira de Paula (PMDB) se pronunciou em tom crítico a essa conquista, apontando itens de discordância ao planejamento do governo municipal.

Na tribuna do legislativo, o vereador Odilo Denig rebateu ao comentário ao entender que Dirceu fez um discurso crítico sem conteúdo construtivo. Para ele, o vereador precisa ter conhecimento de causa para se pronunciar sobre determinado assunto.

Conforme a previsão do governo municipal, a construção do novo residencial deve começar em setembro e as famílias futuras beneficiárias devem ser chamadas para inscrições no projeto entre os meses de agosto e setembro.

Áudios: site da câmara de vereadores

Confira os áudios no vídeo:

 

A entrada do projeto de lei (002/2017) que tem por objetivo retomar o pagamento de diárias aos vereadores para cada viagem em atividades oficiais do legislativo voltou a ser tema de polêmica e debate na Câmara Municipal de Assis Chateaubriand, em sessão realizada na segunda-feira (26).

Assinada por cinco vereadores, a proposta prevê o pagamento antecipado de R$ 430 por cada dia que um vereador estiver em deslocamento a outras cidades como representante do legislativo, como à Curitiba ou outros municípios acima de 300 mil habitantes.

Desta forma, numa viagem de três dias à capital do estado, por exemplo, para reuniões, seminários, encontros ou para os “famosos” cursos para vereadores, eles receberão individualmente o valor R$ 1.290. Assim, se três integrantes da Câmara forem ao mesmo evento, o valor total da viagem chega a R$ 3.870, para gastos com alimentação, hospedam e outras eventuais necessidades, ressaltando que o descolamento acontece com veículo oficial do legislativo.

Já para viagens à Brasília, o projeto autoriza o pagamento de R$ 630, por dia, o que permite um vereador receber o valor de R$ 1.890 se estiver em atividade parlamentar na capital federal durante três dias.

Na noite desta segunda-feira, dezenas de munícipes acompanharam a sessão no plenário da Casa. Na oportunidade, o vereador Aguinaldo Romanini (PSD) voltou a se manifestar contrário à proposta. Autor do projeto que extinguiu as diárias fixas em 2014, quando ocupava a presidência da Câmara, e estabeleceu que o pagamento seja feito somente mediante comprovantes dos gastos, como está em vigor hoje, Romanini se posicionou veemente desfavorável à retomada de tal prática.

Assim como fez na sessão da semana passada, ele afirmou e reforçou que considerada o hábito abusivo e desnecessário que qualquer membro da Casa se utilize de valores fixos exorbitantes para desempenhar suas funções, já que atualmente todos tem direito garantido de ressarcimento para os custos básicos em viagens, desde que comprovem os gastos.

Ainda de acordo com Romanini, desde 2014, nenhum vereador teve seu direito de viajar como membro do legislativo chateaubriandense retirado, pois todos podem cumprir a agenda em atividade parlamentar em qualquer cidade, desde que comprove quais foram os gastos, para posterior ressarcimento com o dinheiro público, dentro do orçamento previsto ao legislativo – diferente de como foi em mandatos anteriores, quando os deslocamentos tinha pagamentos fixos, sem a necessidade de apresentar provas, precisando somente da autorização do presidente da Câmara.

Protocolada no dia 19 de junho, a proposta que concede diárias fixas aos vereadores foi assinada por Marcos Antônio da Silva, o “Pixute” (PSDB), Osmar Aparecido Rinki (PDT), Regina Maura Pereira (PTN), Francisco do Nascimento, o “Chiquinho” (PDT), Luiz Donizete Quemel (SD) e Mauro Adriano da Silva (PSDB). No entanto, na quinta-feira passada (22), o vereador Chiquinho voltou atrás e, através de requerimento, solicitou a retirada de sua assinatura do projeto original.

Com isso, até onde se sabe por escrito, conforme as assinaturas do projeto, a matéria conta com apoio de cinco vereadores. No entanto, na sessão desta segunda-feira, o vereador Dirceu Vieira de Paula deu a entender que pode votar a favor da prática das diárias.

A matéria está em análise das comissões e, caso receba parecer favorável, será levada a plenário para votação. Enquanto tramita nos bastidores legais da Casa, manifestações populares acontecem na cidade, especialmente por meio das redes sociais, onde as críticas são unânimes – sendo algumas acompanhadas até de ofensas morais.

Essa foi a motivação para que a presidente da Câmara de Vereadores, Vera Pestana (PSDB), se utilizasse do expediente nesta segunda e fizesse um desabafo na tribuna. Vera diz que acompanhou alguns comentários que ela entendeu como desmoralizantes de uma forma geral ao legislativo e citou publicações do Observatório Social. A presidente garantiu que, independentemente de qualquer circunstância, mediante aprovação ou não do projeto das diárias, ela não autorizará gastos considerados desnecessários e abusivos.

Durante seu pronunciamento na tribuna, a presidente se direcionou ao vereador Aguinaldo Romanini e disse que não acha necessária preocupação em excesso com o projeto que estabelece a volta das diárias. Para ela, mesmo que a matéria seja levada à diante na comissão, não terá os 8 votos suficientes para aprovação em votação do plenário.

Confira os áudios no vídeo:

MINUTO DO CONSUMIDOR – Cuidados na hora de fazer empréstimo bancário

Da Assessoria - Publicada por Gean Senhorini

O governador Beto Richa, autorizou na manhã da última segunda-feira (13), pedidos de financiamento, junto ao Governo do Estado, na ordem de 4 milhões de reais para serem aplicados na infraestrutura urbana e asfalto e mais três quilômetros de pedras irregulares para o município de Assis Chateaubriand. O anúncio foi feito no Palácio Iguaçu, em Curitiba para outros 23 municípios, de diferentes regiões do Paraná.

As prefeituras vão usar o dinheiro para obras de infraestrutura e compra de equipamentos. Após a autorização dada pelo governador, os projetos apresentados pelos municípios passarão por avaliação técnica da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e do Paranacidade. Os recursos, que somados chegam a R$ 58,3 milhões, são do Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM), operacionalizado pela Fomento Paraná.

“Todos sabem que o nosso governo sempre recebeu os municípios de forma respeitosa, mas eu digo que fomos além disso. Acho que nós temos uma relação estreita de amizade, respeito e parceria de trabalho em favor de cada um dos paranaenses que moram em suas regiões”, disse o governador aos prefeitos.

Richa também lembrou que o apoio financeiro só é possível por causa da gestão responsável do Estado. “Não fosse o ajuste fiscal, não estaríamos liberando recursos. Esse é o Paraná que está na contramão da crise, graças ao apoio da nossa equipe e confiança dos nossos deputados. Foram medidas duras e, entre minha popularidade e o futuro do Estado, escolho sempre pelo futuro dos paranaenses”, relatou.

Mais uma vez o prefeito Marcel Micheletto destacou a sensibilidade do governador Beto Richa junto às causas do municipalismo Paranaense. “Ele [Beto Richa] tem tido uma postura republicana, pois tem tratado todos os prefeitos com igualdade e demonstrado muita atenção aos interesses dos municípios. O governador teve a coragem de fazer os ajustes necessários para que hoje, o nosso Estado apesar das dificuldades enfrentadas pelo nosso País, o Paraná tem crescido e apresentado um dos melhores desempenho econômico do nosso Brasil”, avaliou.

Os recursos para pavimentação serão aplicados na infraestrutura urbana e asfalto. Já os para a pavimentação com pedras irregulares, serão investidos em melhorias nos distritos de Bragantina, Nice e no São Cosme e Damião.

 

 

 

 

 

Atenção contribuintes de Assis Chateaubriand que têm direito à isenção no IPTU 2017, o Imposto Predial Territorial Urbano! O prazo para fazer o pedido vence na próxima quarta-feira (31), no Departamento de Assuntos Comunitários.

Neste ano, a Receita Municipal distribuiu em torno de 16 mil carnês do IPTU e, destes, de acordo com a prefeitura, em torno de 850 contribuintes estão livres do pagamento, conforme previsto em lei. São pessoas a partir dos 65 anos de idade, aposentados e demais beneficiários da previdência, viúvos e portadores de deficiência, desde que possuam um único imóvel e renda de até dois salários mínimos – o que atualmente equivale a R$ 1.874.

Para ser beneficiado com a medida, é preciso requerer a isenção, procurando o Departamento de Assuntos Comunitários. O período começou em 1º de fevereiro e vai até 31 de maio.

De acordo com o diretor da pasta, Dorival Lulu, até agora, faltando uma semana para o fim do prazo, cerca de 700 isenções foram realizadas, o que representa aproximadamente 80% daqueles que o município estima que têm o direito. Sendo assim, ele pede para que os demais procurem pelo benefício.

Dorival explicou sobre a documentação necessária para requerer o benefício concedido pelo município a centenas que famílias, tanto para aqueles contribuintes que só manterão a isenção de anos anteriores como para aqueles que farão o pedido pela primeira vez.

O atendimento Departamento de Assuntos Comunitários acontece das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira. O diretor explica que, com a criação da Secretaria de Assuntos Comunitários e Habitação, o setor está funcionando em outro endereço: dentro do Paço Municipal (antigo espaço da Sala do Empreendedor), e não mais em anexo com a Secretaria de Assistência Social.

Reportagem: William Borges - Publicada por: Gean Senhorini

Confira o áudio no vídeo: 

Com informações do Repórter Léo Silva

Uma empresa especializada em chaves foi alvo de bandidos durante a madrugada desta terça-feira (21) em Assis Chateaubriand.

O proprietário ao chegar ao local de trabalho, percebeu que elemento ou elementos, danificaram a porta de blindex da empresa e tiveram acesso e furtaram algumas moedas.

O registro foi feito, mas o proprietário ficou com prejuízo em danos materiais.

 

A Justiça condenou a 25 anos e 5 meses de prisão, além do pagamento de multa, o ex-prefeito de Formosa do Oeste, Shiguemi Kiara, por desvio de verbas do município em 2004, quando o médico era chefe do executivo.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o réu, em cumplicidade com um servidor já falecido, criou um esquema para desconto de cheques do município em favor próprio e de terceiros. Foram identificados 58 cheques desviados, num montante de quase R$ 398 mil em valores atualizados.

De acordo com a denúncia, os cheques eram emitidos para pagamento de bens e serviços que nunca foram adquiridos e depois de endossados pelo prefeito, eram sacados para apropriação dos valores pelos incriminados.

Além da pena de reclusão em regime fechado, Shiguemi Kiara foi condenado a pagar 8.172 dias-multa, considerando-se o valor de 10% do salário mínimo na época do crime para cada dia-multa.

O ex-prefeito de Formosa do Oeste poderá recorrer da decisão em liberdade. Contra ele, foi instaurada também, pelos mesmos fatos, ação civil pública por ato de improbidade administrativa, ainda pendente de julgamento.

Fonte: Ministério Público - Paraná - Publicada por: Gean Senhorini

No Paraná, 273 motoristas perdem o direito de dirigir, por dia

Todos os dias, em média, 273 motoristas paranaenses são notificados de que tiveram o direito de dirigir suspenso por cometer infrações de trânsito. Só nos primeiros dois meses deste ano, o Detran já enviou 16 mil avisos de suspensão. O aumento é de 36% na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram 11.800 notificações.

O tempo só começa a contar depois que a CNH é entregue em uma das unidades do Detran e, além de não dirigir, é preciso passar pelo curso de reciclagem para motoristas infratores.

Infrações gravíssimas que levam à perda da carteira imediatamente ou mesmo o acúmulo de mais de 20 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) fazem com que todos os dias 42 motoristas tenham a permissão suspensa temporariamente no Oeste do estado. Na região, somente nos dois primeiros meses de 2017, 2.435 condutores perderam o direito de dirigir. O número equivale a mais de 15% do total no Paraná.

Com uma frota de quase 24 mil veículos, o município de Assis Chateaubriand aparece em quarto lugar no ranking de maior número de suspensões. Até agora, neste ano, 114 motoristas tiveram a CNH suspensa, atrás apenas de Toledo com 396, Foz do Iguaçu com 607 e Cascavel com 850.

Nas 50 cidades da região oeste, apenas duas não tem nenhum condutor com a carteira suspensa: Campo Bonito e Serranópolis do Iguaçu.

Do total de motoristas suspensos este ano, 11 mil são homens e 4 mil mulheres. Os condutores com mais de 50 anos são os que mais têm registro de suspensão – são 4.124.

O coordenador de Habilitação do Detran, Farid Gelasco, ressalta que a suspensão é uma medida punitiva e deve ser cumprida.

Em novembro do ano passado, uma lei estendeu o prazo mínimo de suspensão para quem atingir 20 pontos ou mais no período de um ano. De um mês sem poder dirigir, a nova regra determina que o condutor suspenso deve ficar pelo menos seis meses.

O condutor notificado tem o direito de defesa e ao amplo contraditório. O recurso deve ser apresentado junto ao Detran dentro do prazo estabelecido na Notificação da Imposição da Penalidade.

Reportagem:  William Borges/ Erico Malvezi - Informações: Detran - Publicada por: Gean Senhorini

 

 

 

O infarto mata mais de 70 mil brasileiros por ano. Alguns sintomas que antecedem um ataque cardíaco funcionam como sinais de alerta.

O cardiologista Marcelo Sampaio, que faz parte do Instituto Lado a Lado pela Vida, explica que os primeiros sinais não devem ser ignorados. Se você estiver em repouso e sentir dor no peito por mais de 20 minutos, por exemplo, fique em alerta.

O doutor enfatiza que, além da dor no peito, há outros sintomas que podem servir de alerta para um infarto.

No entanto, o médico diz que muitas pessoas, em média 17%, enfartam e não sentem nenhum tipo de sintoma, o que aumenta ainda mais o risco. Por isso, ele recomenda que todos façam exames periódicos para saber das condições de saúde.

Caso perceba alguns dos sintomas já citados, Marcelo Sampaio diz o que a pessoa deve fazer, evitando a automedicação.

Um infarto costuma deixar sequelas que afetam o dia a dia das pessoas. No entanto, o médico cardiologista diz que, se diagnosticado precocemente, antes do período crítico, é possível evitar sequelas. Nesse caso, o tempo é fundamental.

De acordo com o doutor, para prevenir os problemas no coração, além da necessidade de estar sempre com exames de rotina em dia, principalmente o eletrocardiograma, é essencial uma alimentação balanceada, fazer exercícios físicos regulares e controlar a pressão.

O médico, integrante do Instituto Lado a Lado pela Vida, pede também o envolvimento de todos os profissionais de saúde para que ajudem a detectar os sintomas – o que pode ser o limite entre a vida e a morte ou evitar as sequelas que limitam o cotidiano do paciente.

Fonte: BR News - Colaboração: William Borges - Postada por: Gean Senhorini

Em 2017, a cooperativa C.Vale está concentrando seus investimentos na área industrial. A empresa está aplicando R$ 110 milhões na construção de um frigorífico para peixes que deve entrar em operação até o final deste ano. Outra meta para este ano é ampliar a produção de frangos das atuais 460 mil para 520 mil aves/dia.

Para os dois empreendimentos, a C.Vale precisará contratar mais de 1.100 funcionários, sendo 700 para o abatedouro de frangos e 400 para o frigorífico de peixes. O processo de seleção já está aberto e tem atraído candidatos de todo o Brasil.

Segundo o presidente da cooperativa, Alfredo Lang, apesar das turbulências políticas e econômicas, a C.Vale conseguiu ampliar seu faturamento em 24% no ano passado, alcançando R$ 6,8 bilhões. Ele observou que o fato da cooperativa atuar com uma gama diversificada de produtos permite que os segmentos com melhor desempenho amenizem as dificuldades de outros setores.

Lang argumentou que a diversificação de atividades e a agroindustrialização são os pilares da sustentabilidade da C.Vale, tendo como base a soja e o milho, encontrados de forma farta, e são as matérias primas para produção de carne na região. Esses fatores o presidente define como “uma roda viva de negócios” – tudo dentro do plano de modernização da cooperativa, iniciado na década de 90.

De acordo com a C.Vale, das oportunidades abertas para novos trabalhadores há vagas para variadas áreas, funções e formações.

Nos cargos de operador de máquinas, operador de embarque e operador de qualidade, basta ter ensino médio completo ou estar cursando; no setor de qualidade, é preciso curso superior ou estar cursando biologia, biotecnologia ou tecnologia em alimentos; na área de manutenção, o requisito é ser técnico em eletromecânica, técnico em mecânica ou ter curso técnico em eletrotécnica; já para o setor administrativo, é necessário estar estudando ou ter completado curso nas áreas de administração, ciências contábeis, processos gerenciais, tecnologia em recursos humanos ou áreas correlatas; na área de indústria, é exigido formação em engenharias de alimentos, de produção e de pesca; serão contratados também profissionais com formação em piscicultura, aquicultura e medicina veterinária; já para o programa trainee, o candidato deve estar cursando o último ano de administração, agronegócio, processos gerenciais, ciências contábeis ou áreas afins.

Os candidatos interessados podem se inscrever através do site www.cvale.com.br , no link trabalhe na C.Vale, ou na Agência do Trabalhador dos municípios parceiros; ou ainda através de indicação de funcionários da empresa.

Em Assis Chateaubriand, a disponibilidade de vagas deve ser consultada na Agência do Trabalhador, localizada na Rua Recife, Centro, próximo ao Fórum.

Da Assessoria

Colaboração: William Borges – Publicada por: Gean Senhorini

Confira o áudio do presidente da C.vale, Alfredo Lang, no vídeo abaixo:

 

 

Pagina 1 de 194

Atenção

A reprodução deste conteúdo somente é permitida desde que seja dado o crédito à Rádio Jornal 1470 AM, informando o endereço www.radiojornalam.com.br

Para a reprodução de conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Rádio Jornal 1470 AM retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a Lei 9.610/1998.