Sexta, 29 Setembro 2017 10:45

Começa temporada de raios e trovões no Paraná

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
ilustrativa

Brasil é líder mundial na incidência de raios

Poer William Borges

Após 39 dias de seca, voltou a chover em Assis Chateaubriand nesta quinta-feira (28) e, com o retorno das chuvas, está aberta a temporada de raios e trovões em todo o Paraná.

A previsão para esta sexta (29) e os próximos dias é de chuva intensa, com ventos fortes e grande concentração de raios, segundo previsão do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) também coloca quase toda a região Sul do País em estado de perigo para eventos severos, inclusive as descargas atmosféricas.

Todos os anos, 916,8 mil raios são registrados sobre o território do Paraná. O Estado é apenas o 11º entre as unidades da Federação em termos de incidência de raios, segundo relatório divulgado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A cidade campeã de raios no Paraná é Antonina: 8,14 raios por quilômetro quadrado por ano, muito acima do índice estadual (4,6). Isso indica que Antonina recebe em média 6.878 descargas todos os anos. A seguir aparecem Guaraqueçaba (índice de 7,18), Guaporema (6,66), Morretes (6,19), Paranaguá (6,14), Roncador (6,12), Floraí (6,04), Andirá (5,97), Janiópolis (5,92) e Cambará (5,90).

Assis Chateaubriand tem um índice de 5,2. Ou seja, a ‘Cidade Morada Amiga’ recebe, em média, mais de 5 mil descargas a cada ano.

Em nenhuma parte do mundo cai tanto raio como aqui no Brasil. De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, nos últimos 6 anos, o país registrou, em média, 77,8 milhões raios por ano, nos tornando líder mundial na incidência de raios.

As estações que mais concentram as descargas de relâmpagos são o verão (43%) e a primavera (33%). Por isso, a população deve ficar alerta, afinal, é nessa época que se concentram 90% dos casos registrados ao longo do ano, por conta do choque de massas de ar com temperaturas diferentes.

A cada ano, em média, 300 pessoas são atingidas por raios no Brasil, das quais 100 morrem.

Para monitorar a ocorrência do fenômeno em todo o território brasileiro, foi desenvolvido uma rede de sensores chamada Rede BrasilDAT. Além de detectar cerca de 99% das tempestades que ocorrem no país, a rede tem uma base de dados de raios que permite esclarecer a causa da maior parte dos eventos associados a eles, como detalhou o coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosférica, Osmar Pinto Júnior.

O levantamento aponta que o Estado com maior densidade de raios é Tocantins, com 17,1 raios por quilômetro quadrado. Em seguida vem Amazonas (15,8), Acre (15,8), Maranhão (13,3), Pará (12,4), Rondônia (11,4), Mato Grosso (11,1), Roraima (7,9), Piauí (7,7) e São Paulo (5,2).

Já a cidade de Santa Maria das Barreiras, no Pará, registra um índice muito acima, de 44 raios por quilômetro quadrado por ano, e, por isso, carrega o título de município com maior densidade de raios do país.

Para se proteger dos raios durante uma tempestade, não use o telefone com fio ou celular enquanto estiver carregando, não fique próximo a tomadas, janelas e portas metálicas. Se estiver ao livre, preste atenção na chegada de tempestades e busque um abrigo, seja em uma residência ou dentro de um carro fechado.

 

Mídia

Atenção

A reprodução deste conteúdo somente é permitida desde que seja dado o crédito à Rádio Jornal 1470 AM, informando o endereço www.radiojornalam.com.br

Para a reprodução de conteúdo fora das condições especificadas entrar em contato com o seguinte e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A Rádio Jornal 1470 AM retém os direitos autorais do conjunto de textos e fotos publicados no site conforme a Lei 9.610/1998.